Nay Porttela lança “Viradela”, primeiro álbum autoral.

Cantora e compositora Nay Porttela estreia em seu primeiro álbum autoral com Nilze Carvalho.

Com um novo som totalmente imprevisível, Nay lança seu primeiro álbum Viradela nas principais plataformas digitais, com direito a visualizer em cada uma das 12 faixas do disco.

Os 33 minutos de “Viradela” cativam o ouvinte com a voz única de Nay. Sendo assim, a cantora e compositora lança seu primeiro álbum com um pé mais do que direito. Se há espaço para trocadilhos, aqui vai um, feito com a primeira faixa do disco, “Lá Vem Ela”: “Como um vento que sopra do mar para a terra”.

Quatro meses após o single “Vem” produzido e assinado por Patrick Laplan. O primeiro álbum original de Nay, carrega consigo toda brasilidade, apresentando uma bagagem artística e musical que a cantora vem construindo, em um compilado de músicas que trazem memória afetiva e o seu amor pelo Brasil. “Viradela significa o vento que sopra do mar para a terra e representa a transformação e uma virada de direção na vida”, conta Nay.

Intitulado Viradela, o álbum traz a cantora Nilze Carvalho em Samba da Desilusão, uma das doze músicas do repertório inédito e inteiramente autoral do disco. Parceiros como, Luciano Portela, Cuper e Rogério Bicalho integram o time de produtores musicais do álbum Viradela.

Lá Vem Ela, Culpado ou Inocente e As Vezes são músicas que figuram em Viradela. A temática gira em torno dos ritmos brasileiros em uma mistura autêntica de mpb, samba, forró, arrocha, pop e axé. Viradela é um trabalho para consolidar de vez a carreira da artista que já mostrou pra que veio com um cartão de visitas potente em seu primeiro álbum. Nay promete um novo som totalmente imprevisível com Viradela.

Mais que sonoro na mistura musical, Viradela é audiovisual, vai muito além das músicas e potencializa os sentidos das canções que falam sobre amores, fé, desilusões e transformações.

“Para mim, a música sempre foi uma manifestação artística muito além de ritmo e instrumento, ela é uma forma de me comunicar e a parte estética caminha junto. O encontro que tive com o fotógrafo Rodolfo Ruben foi muito lindo. Ele conseguiu traduzir muito bem o conceito que criei para o disco Viradela. A gente conversa muito e tem uma parceria muito especial, trabalhamos numa troca intensa de referências, num diálogo profundo entre nossos diferentes campos artísticos, a partir das letras e das sonoridades. Rodolfo tem sido parte fundamental deste que é meu primeiro disco autoral, ele me dirigiu até essa imagem de uma mulher misteriosa, leve e intuitiva. Eu confio muito nele e a nossa sintonia bate forte”, revela a cantora.

O disco tem a produção musical, mixagem e masterização assinadas por Luciano Portela com coprodução de Nay. Fotografia, direção de imagem e vídeo por Rodolfo Ruben. Na faixa “Samba da Desilusão” a produção é de Rogério Bicalho, Marcos Cupertino e Luciano Portela. Diego Amaral gravou as percussões das músicas “Lá Vem Ela”, “Culpado ou Inocente”, “As Vezes”, “Ficar”, “Sei Lá” e “Samba da Desilusão”. Marcos Borges tocou violão e guitarra na música “Lá Vem Ela”. A faixa “Samba da Desilusão” teve o violão 7 cordas de Julio Lemos, a cuíca de Junior Viegas, o cavaco de Jonatan Francisco e o trompete de Lourrainy Cabral. As faixas “Poetry”, “Gravidade”, “Sei Lá”, “Ficar” e “Rotina” contam com a guitarra de Luciano Portela assim como “Lá Vem Ela” e “Casa” contam com seu violão. Os pianos, synths e programações de todas as faixas foram tocados por Nay.

Sobre as faixas

SOPRO DO MAR  – Introdução de Lá Vem Ela.

LÁ VEM ELA – É uma MPB com afoxé. O vento que trás as influências dos quatro cantos do Brasil e chega no centro do mapa transformando a vida de Nay.

CULPADO OU INOCENTE – É um pop que se mistura com Ijexá. Ao som do piano de Nay esta canção reflete sobre os pesos das relações. Sobre abrir mão e se sacrificar para o bem de algo maior, o amor.

AS VEZES – É um xote com pop. Os opostos se atraem sim “maaas” tem conflitos, é o que canta Nay nesse xote bem indeciso.

ROTINA – É uma bossa nova que se harmoniza ao bolero. Ao som de um bolero delicioso, Nay narra descritivamente um dia comum e rotineiro.

CASA – Arrocha com reggaeton. Juntar todas as pedras que jogaram no seu caminho e reconstruir sua vida, recomeçar!

FICAR – É um axé misturado com mpb.  A música abraça o axé  e mescla com a mpb. Sobre a concepção é uma canção que todos podem se identificar, pois fala de tempos líquidos e efêmeros.

TEMPO – MPB misturado com afoxé. Acreditar que o tempo pode curar e trazer oportunidades na vida é a mensagem que Nay comunica nesta canção que motiva e nos coloca para dançar.

GRAVIDADE – É um pagodão suingado com Xote. Nay questiona a força da gravidade no sentido de ser resiliente para viver nesse mundo como uma necessidade para sobreviver em harmonia social.

SEI LÁ – É uma MPB com balada romântica. Nay mistura mpb com balada e fala sobre paixão à primeira vista. Uma história real vivida por muitos, inclusive pela cantora.

SAMBA DA DESILUSÃO – É um samba raíz que se transforma em uma catira. O tema é desencontros e desilusões ao som de um samba raíz Nay e Nilze Carvalho encantam com suas vozes.

POETRY – Bossa nova e jazz. Nay retorna suas raízes musicais quando cantava bossa nova nas noites da cidade ao som de seu piano.

Link de pre-save do álbum Viradela Nay Porttela:

https://www.youtube.com/watch?v=GSlottI2c6M&t=42s

Nay Porttela – Lá Vem Ela

https://youtu.be/GSlottI2c6M

Nay Porttela – Culpado ou Inocente

https://youtu.be/qxzX

 

 

Sandra Piscitelli

Nascida em 13 de novembro no bairro da Tijuca, cidade do Rio de Janeiro. A carioca estudou no Colégio Metropolitano na zona norte do Rio, formada em licenciatura em matemática pela UFRJ, Tecnólogo em informática e atualmente é mestre em Educação Matemática pela Universidade Federal de Juiz de Fora, se dedica à vida acadêmica. Estudando marketing de rede e publicidade pela UFF (Universidade Federal Fluminense). Diretora executiva da empresa Piscitelli Entretenimentos e diretora do site de publicidade piscitellientretenimentos.com. Amante da poesia!

Você vai curtir

Deixe uma resposta